Crônicas de Campanha #1

Estávamos na Ceilândia entregando panfletos. Heloísa tem uma característica: ela proseia. Nós entregamos mais de 200 e ela entregou 6. Mas conhece a família inteira.

Uma dessas pessoas é um ambulante que não acredita que nada vai mudar, nem adianta, mas deseja sorte. Disse que eu me venderia, que não aguentaria a tentação.

Disse que já tenho tudo que preciso. Ele respondeu:
– Você tem um iate?
– Não preciso de um iate. Você precisa de um iate?
– Eu preciso. Ia ser lindo, navegar no lago, umas festinhas, pá.

Rimos até.

2018-09-11T09:54:38+00:00